Saudações do Embaixador Kunio Umeda no Seminário Econômico Brasil-Japão 02 de setembro de 2015

Seminário Econômico Brasil-Japão

Saudações do Embaixador – 02 de setembro de 2015
 

Apresentação


          Em nome do Governo do Japão gostaria de agradecer à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), ao Jornal Nikkei Shimbun do Japão e à Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil pela organização deste seminário. Agradeço também a colaboração e o patrocínio do jornal O Estado de São Paulo, da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

          Atualmente, mundo vive uma época de grandes transformações. O número de empresas japonesas atuantes no Brasil dobrou entre 2009 e 2013, para aproximadamente 700 empresas. Entretanto, em 2014, esse aumento restringiu-se para algumas poucas empresas. Em um cenário de agravamento da situação econômica do Brasil, saber como aumentar os investimentos japoneses e contribuir para o desenvolvimento do Brasil constitui um grande desafio.

          A realização deste Seminário é oportuno e temos a expectativa de que possamos ouvir ideias para se avançar no relacionamento econômico entre os dois países.

          No ensejo, desejando um grande sucesso ao Brasil, apresento a seguir um panorama atual das relações entre o Brasil e o Japão.
 

1.  Relações Japão-Brasil


          O relacionamento entre o Brasil e o Japão tem evoluído de forma consistente. No ano passado, o Primeiro-Ministro do Japão Shinzo Abe, na primeira visita de um chefe de governo japonês ao Brasil nos últimos dez anos, juntamente com a presidente Dilma Rousseff, emitiram uma Declaração Conjunta de chefes de governo em que o relacionamento bilateral é definido como uma “parceria global estratégica”. Desde então, os governos de ambos os países têm realizado um constante acompanhamento da agenda.

          Neste ano comemoramos os 120 Anos do Estabelecimento das Relações Diplomáticas entre o Japão e o Brasil, e aproximadamente 450 eventos alusivos estão sendo realizados no Brasil, com a participação de milhares de brasileiros e aprofundando a compreensão acerca da cultura japonesa.

          No dia 12 de setembro, será realizado o Festival de Fogos de Artifício Brasil-Japão. Temos recebido contribuições de várias empresas privadas para a realização das atividades comemorativas dos 120 Anos, e aproveito a oportunidade para lhes externar meus sinceros agradecimentos. O ápice das comemorações será a visita das suas Altezas Principe e Princesa Akishino ao Brasil, no final de outubro, e a visita da Presidente Dilma Rousseff ao Japão, no início de dezembro.

          Na área da política e da segurança, entre nossos dois países, está em curso um intercâmbio de autoridades na área da defesa, foi iniciado um inédito diálogo na área de segurança internacional e, neste ano, após sete anos, foi realizada a visita ao Brasil da Esquadra de Treinamento da Força Marítima de Autodefesa do Japão. No âmbito judicial e policial, a cooperação sobre persecução criminal e demais assuntos penais tem avançado a contento. Vemos também um aumento na demanda pela adoção do sistema de policiamento comunitário conhecido como sistema “Koban”.

          Na área econômica, foi realizado no Rio de Janeiro, em maio passado, o encontro do Grupo dos Notáveis onde foram apresentadas propostas promissoras em áreas prioritários a saber, dos recursos naturais, da cooperação industrial e da infraestrutura, as quais foram reportadas aos respectivos chefes de governo. Em julho, o ministro das Relações Exteriores Embaixador Mauro Vieira e a ministra da Agricultura Kátia Abreu visitaram o Japão. Também, já se estão em curso os preparativos para a visita oficial ao Japão da presidente Dilma Rousseff.

          No encontro internacional de mulheres (WAW!2015) realizado no mês de agosto em Tóquio, participaram as empresárias Luiza Trajano, presidente da rede Magazine Luiza, e Chieko Aoki, presidente da rede hoteleira Blue Tree, dentre 33 empresárias brasileiras membros do grupo Mulheres do Brasil. Foram recebidas pelo primeiro ministro Abe em sua residência oficial.

          O caso de corrupção na Petrobrás tem afetado as empresas japonesas atuantes no Brasil, em especial as do setor de construção naval. Por instrução da presidente da República, foi estabelecida uma força-tarefa para tratar do problema, e os inúmeras empresas que pensam em investir no Brasil têm acompanhado a situação na expectativa de uma solução rápida à questão.

          No âmbito do intercâmbio humano, 15 mil japoneses visitaram o Brasil durante a Copa do Mundo do ano passado. Para que se possa incrementar o intercâmbio de pessoas, que atualmente está estagnado em 120 mil pessoas, o Japão, desde junho deste ano, está concedendo vistos de entradas múltiplas aos cidadãos brasileiros portadores de passaportes comuns, com validade de três anos, e o Brasil está preparando adotar a mesma concessão aos cidadãos japoneses.

          E com vistas às Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio de Janeiro, no ano que vem, e de Tóquio, em 2020, além do intercâmbio humano, queremos fortalecer também o intercâmbio na área do desporto.
 

2. Encorajamento ao Brasil


          Atualmente, o Brasil está enfrentando grandes adversidades na esfera política e econômica. Por outro lado, isso significa um período de transformações e se for bem aproveitada a oportunidade, há chances para dar grandes saltos. Há muitos aspectos com que o Brasil pode se orgulhar. Gostaria de apresentar apenas três deles e encorajar o Brasil.

          Primeiro ponto: No Brasil, a democracia, a independência do judiciário, a liberdade de imprensa e de expressão estão consolidadas. As manifestações contrárias ao governo em março, abril e agosto deste ano foram realizadas pacificamente. A despeito do relacionamento turbulento entre o Governo e o Congresso, o Judiciário, de forma independente, está investigando a fundo a corrupção na Petrobrás. Acreditamos que o Brasil, que tem os valores da liberdade, da democracia e da imprensa livre consolidados, vai superar todas as dificuldades, rumo a um futuro mais justo e com menos corrupção.

          Segundo ponto: O Brasil é a sociedade mais tolerante e plural do mundo. É uma sociedade que acolhe e respeita as diferenças raciais e religiosas. Tais características da sociedade brasileira, que prima pela tolerância e diversidade, constituem grandes atrativos que congregam as pessoas.

          Terceiro ponto: A capacidade do Brasil na solução de problemas. O país transformou terras consideradas improdutivas do Cerrado em vastos campos para o plantio de soja, contribuindo para a segurança alimentar mundial. No início dos anos 1990, o país venceu a hiperinflação, conquistando a estabilidade macroeconômica. No setor aeroportuário, o problema dos constantes atrasos nos voos foi sanado, elevando a confiabilidade e a comodidade.

          Os exemplos citados demonstram a grande capacidade de superação do Brasil. O receituário contra o complicado sistema tributário, que impede o crescimento econômico do país, já é bem conhecido dos especialistas brasileiros. Resta saber como aplicá-lo. Esperamos pelos avanços no ajuste fiscal e nas reformas estruturais.

          Finalizo as minhas palavras, desejando o sucesso do Seminário e o fortalecimento das relações nipo-brasileiras.

          Muito Obrigado.